15ª edição do TECPUC Solidariedade Ilhas reúne mais de 40 alunos e colaboradores

2017-113_DSC8172

Gratidão e colaboração foram os sentimentos mais presentes na 15ª edição do TECPUC Solidariedade Ilhas, realizado nos dias 01 e 02 de julho na Ilha de Superagui, em Guaraqueçaba. O projeto, realizado desde 2012, reuniu mais de 40 alunos, colaboradores e professores da Instituição que promoveram atividades e oficinas para os moradores da comunidade.

O objetivo da ação é promover a troca de experiências e conhecimentos entre os alunos e a comunidade aliando o conhecimento aprendido em sala aos Valores Maristas por meio da prática da solidariedade em momentos de convivência, diálogo e partilha de experiências de vida. Nesta edição, além da Pastoral Juvenil Marista (PJM), participaram também alunos do Projeto Revitalize Rio Belém, dos cursos técnicos e colaboradores da Instituição.

Os alunos e professores dos cursos técnicos em Mecânica e Mecatrônica ministraram uma oficina sobre manutenção de motores e os cursos de Segurança do Trabalho e Radiologia falaram sobre primeiros socorros e afogamentos. Já o curso de Química ficou responsável por mostrar como fazer sabão, detergente e amaciante com óleo de cozinha usado e como criar e manter uma composteira orgânica.

Alunas do Curso Técnico em Segurança do Trabalho, orientadas por um professor da área, mostraram como fazer uma horta suspensa com garrafas pet, além de falar explicar como cuidar e revitalizar hortas tradicionais. Além das oficinas, os alunos e colaboradores também participaram de brincadeiras e atividades recreativas com as crianças, bate-papos e momentos de partilha com moradores da comunidade.

Depois de 15 edições, o TECPUC Solidariedade Ilhas comemora a participação de mais de 500 alunos dos diversos cursos oferecidos pela Instituição. De acordo com a organizadora do projeto e pastoralista do TECPUC, Leila Cristina Carneiro, a experiência permite que todos os participantes cresçam profissional e pessoalmente. “O desafio em organizar cada detalhe para atingir o resultado esperado nem se compara com a recompensa em ver o brilho no olhar de cada aluno, professor e colaborador que doou tempo e conhecimento para oferecer seus talentos a serviço da missão”, enfatiza Leila, que já participou de outras três edições do projeto.

Além de ajudar na prática de conhecimentos adquiridos em sala de aula, a visita à Superagui permitiu que os estudantes criassem laços e conhecessem outra realidade. “Fomos muito bem recebidos pelos moradores da Ilha que nos acolheram como muito carinho e nos fizeram sentir como se estivéssemos em casa. Fazer oficinas com as crianças nos mostrou que não precisamos de muito nessa vida para chegar ao final do dia com um sorriso no rosto de dever cumprido”, analisa o ex-aluno do TECPUC e integrante da PJM, Matheus Rosa.